Imprensa Notícias

Setembro Amarelo: mês é dedicado a prevenção do suicídio

05 de Setembro,2018

Desde o ano de 2014 o mês de setembro é dedicado à campanha de prevenção do suicídio. Conhecido como Setembro Amarelo, em todo o País, espaços públicos e privados adotam a cor amarela em suas decorações como forma de chamar atenção da população para o debate acerca do tema. 

O suicídio nos dias de hoje é um problema de saúde pública e é um assunto complexo que deve ser tratado da maneira mais assertiva possível. Segundo especialistas, nem sempre é possível perceber os sinais de alguém suicida. São vários os fatores que contribuem para que a pessoa tire sua própria vida, mas a depressão é um dos principais motivos que colaboram para a causa.

Segundo a Organização Mundial da Saúde - OMS, cerca de 11,5 milhões de brasileiros sofrem deste transtorno emocional, o que favorece o aumento do consumo de antidepressivos no país. Outro dado que também é preocupante é a venda irregular destes medicamentos e o autodiagnostico da doença.

Com os recursos da tecnologia as pessoas estão cada vez mais buscando informações na internet, que embora seja uma ferramenta de ajuda importante para muitas pesquisas, não é o caminho ideal para diagnosticar doenças ou indicar tratamento para o usuário. 

De acordo com a Associação Brasileira de Psiquiatria, a ingestão de substância equivocada ou dosagem errada comuns na automedicação podem causar dependência ou até mesmo a morte. O caminho mais correto é buscar ajuda de profissional de saúde,  que nestes casos é o psiquiatra. Como nem sempre o tratamento requer uso de medicamentos, uma consulta ou acompanhamento com um psicólogo pode ser o ponto de partida fundamental para salvar uma vida.

Com o papel de avaliar os comportamentos humanos e a interação dos indivíduos com o meio em que vivem, o profissional graduado no curso de Psicologia pode ajudar no tratamento adequado da depressão e outros transtornos emocionais. Entre os sintomas mais comuns na depressão e que servem de alerta para ir em busca de um atendimento psicológico estão a tristeza persistente, afastamento do convívio social, demonstração constante de desinteresse pelas atividades corriqueiras, entre outros. 

Atualmente o Brasil já oferece atendimento para estes casos de forma gratuita por telefone ou internet. O Centro de Valorização da Vida (CVV) realiza um serviço voluntário de apoio emocional e prevenção do suicídio através dos números 188 ou 141 (para os estados Bahia, Maranhão, Pará e Paraná). Muita gente ainda não conhece o CVV, então se você é um leitor que fomenta a criação da rede de apoio para este público e deseja colaborar com a redução dos casos de suicídio, compre a ideia do Setembro Amarelo e divulgue essa informação.