Imprensa Notícias
Fonte: Jornal Caiabis

Prefeitura realizará audiência pública em 2019 para decidir sobre construção de novo hospital ou readequação do prédio atual

Prefeito recebeu da AMM recentemente os dois projetos, sendo um com estimativa de custo em torno de R$ 3 milhões e outros em cerca de R$ 8 milhões; “Decisão será da comunidade”, diz prefeito

03 de Dezembro,2018

A Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM) concluiu no último mês a elaboração de dois projetos ligados à saúde de Tapurah. Um é referente à construção de um novo hospital municipal com 2.087,17m² de área construída e outro para a readequação do prédio atual.


Os projetos foram entregues pela coordenadora técnica de projetos, Ana Catarina de Souza Silva e o técnico da AMM, Ivan Pinhal ao prefeito de Tapurah Iraldo Ebertz. Os mesmos contém também um estudo elaborado pela entidade, aonde consta os prós e contras de cada um dos projetos. 


Conforme o prefeito Iraldo Ebertz, o custo para a construção de um novo hospital para atender as necessidades do município está orçado em torno de R$ 8 milhões (oito milhões de reais) e o custo para uma total readequação do atual hospital, aonde também poderá oferecer um melhor atendimento à população está orçado em cerca de R$ 3 milhões (três milhões de reais). 


O próximo passo, segundo prefeito é discutir com a comunidade no início do próximo ano (2019) em audiência pública para tomar a decisão certa. “Através da audiência pública nós vamos discutir com toda a sociedade, queremos envolver uma grande parte da população para decidirmos juntos o que é melhor para o município. Precisamos saber a opinião da maioria se é melhor partir para uma construção de um hospital novo ou é mais vantajoso nós reformar e readequar o atual”, ressalta o prefeito.


Conforme Iraldo, os dois projetos envolvem grande investimento e não permite erro na escolha. Para isso a administração irá trazer os técnicos da AMM que desenvolveram os projetos e também realizaram um estudo sobre os prós e contras de cada um. “É normal que se tenha muitas divergências de ideias sobre construir um novo hospital ou reformar e readequar o atual, mas nós não podemos errar na escolha. Vamos envolver o máximo de pessoas para discutir este assunto, queremos que todos participem para nos ajudar a escolher o melhor caminho. A nossa posição é essa, temos que fazer sempre o melhor e sempre com a participação da comunidade”, pontua.


A audiência pública deverá acontecer nos primeiros dias de fevereiro do próximo ano.